Google Plus
Instagram

Colégio Joana D'arc

Referência na formação de vencedores.

Joana D'Arc na Mídia!!!

JORNAL  do SBT


JORNAL da RECORD

 



Rede social possibilita novas formas de disseminar conhecimento

Plataforma virtual lançada em 2008 é adotada por diversas escolas do mundo

Perfil do professor Rodrigo Abrantes no Edmodo (Foto: Divulgação /Rodrigo Abrantes)
Perfil do professor Rodrigo Abrantes no Edmodo (Foto: Divulgação/Rodrigo Abrantes)

O avanço progressivo das novas tecnologias vem provocando mudanças sociais em diferentes aspectos, principalmente no que envolve o acesso à informação. Se antes o professor era a principal fonte de conhecimento de um aluno, hoje, os jovens têm a possibilidade de estar em contato com diversos conteúdos de forma facilitada e simultânea. Os antigos modelos pedagógicos parecem estar cada vez mais distantes das necessidades da “geração Google”, dinâmica e ansiosa por respostas imediatas. As inovações tecnológicas abrem espaço para novas possibilidades de aprendizado e disseminação do conhecimento, permitindo que escolas se adéquem ao novo ritmo imposto, principalmente, pela internet.
 

Um ótimo exemplo disso é a rede social Edmodo, voltada exclusivamente para as comunidades escolares. Lançada em 2008, a plataforma gratuita tem como objetivo conectar professores, alunos e gestores em um ambiente virtual privado e seguro. A viabilização da ferramenta de tecnologia da Educação foi resultado do investimento de dois grandes grupos americanos: Union Square Ventures e o Learn Capital.

No Edmodo, os professores são os gerenciadores responsáveis por adicionar os demais usuários e ministrar os conteúdos e atividades da rede. Nela é viável, dentre muitas possibilidades, criar salas de aula virtuais, dividir alunos em grupos de trabalho, compartilhar conteúdo, avaliar o desempenho de alunos a partir de quizzes, propor e corrigir trabalhos na própria rede, inserir pais na ferramenta para que eles acompanhem o desempenho dos filhos e conectar alunos e professores com outros projetos educativos de todo o mundo.

Debate entre professor e alunos na rede Edmodo (Foto: Divulgação/ Rodrigo Abrantes)
Debate entre professor e alunos na rede Edmodo
(Foto: Divulgação/ Rodrigo Abrantes)

Com mais de 20 milhões de usuários, a rede possui 751 milhões de perfis e está conquistando um expressivo contingente de fãs. No Brasil, diversas escolas, públicas e particulares, estão aderindo a ideia de expandir seu território de atuação para o virtual. Em meados de 2011, acompanhando a expansão do Edmodo no Brasil, a escola privada Joada D’arc começou a adotar a plataforma no colégio para todas as turmas a partir do segundo ano do Ensino Fundamental.

“A escola sentiu a necessidade de reformular suas abordagens. Isso porque as novas gerações estão chegando à instituição com certa fluência em tecnologias e acesso à informação de modo que o lugar tradicionalmente ocupado pelo professor esta sendo repensado”, declara Rodrigo Abrantes, coordenador de tecnologia aplicada à educação do Colégio Joana D’arc.

O também professor de história afirma que o processo de implementação da ferramenta implicou no enfrentamento de alguns problemas. O primeiro foi com relação ao estímulo de que a rede seja usada na escola e que acessos permitir junto com essa concessão. “O colégio tinha um alto nível de bloqueio a conteúdos da internet. O que dificultava pesquisas e acesso à informação pelo Edmodo. Foi preciso configurar um filtro de internet para que tudo que estivesse na  plataforma pudesse ser aberto”, lembra.

No entanto, Rodrigo afirma que o maior problema enfrentado foi com a adequação de professores ao novo método de lecionar. “Tivemos uma resistência muito grande. 60% dos nossos professores  tem 20 anos de casa. Eles estão acostumados a dar o mesmo estilo de aula há anos. O uso da ferramenta exigiu treinamentos em ritmo lento para aqueles que não tinham fluência nas novas tecnologias”, afirma.

Apesar de certos alunos do Ensino Médio terem contestado a nova abordagem de ensino, por estarem acostumados ao modelo tradicional de reprodução de conteúdo, Rodrigo garante que, no geral, a aceitação foi positiva e producente. Para Carolina Fischer, 17, estudante do colégio há 14 anos, a utilização da ferramenta trouxe benefícios para o seu aprendizado. “Com o Edmodo é muito mais prático. Ficou mais fácil de enviar trabalho, ver trechos de documentários ou de livros. As aulas de História e Literatura, por exemplo, ficaram mais dinâmicas”, diz.

Em breve, a rede Edmodo irá abrir sua da loja de aplicativos educativos. Para Rodrigo Abrantes, essa será mais uma evolução no processo de educação. O professor explica que os aplicativos levarão o Edmodo para os celulares e possibilitarão que os alunos estejam em contato com a escola de qualquer lugar. “As possibilidades de personalizar formas de conhecimento vai se ampliar muito”, afirma.

http://redeglobo.globo.com/globoeducacao/noticia/2013/06/rede-social-edm...

 

Orientação Vocacional - Jornal da Cultura.

 

 

 

De cada três crianças, uma está acima do peso. Para tentar melhorar esse quadro, os pais vão ganhar uma forcinha da tecnologia: com um cartão pré-pago, eles vão poder controlar o lanche dos filhos nas cantinas de algumas escolas.

 

 

No dia 04.02, o programa Sala Ultra, da TV Gazeta, discutiu a volta às aulas. O Colégio Joana D'Arc marcou presença, através da Professora Maria da Graça, da aluna Caroline Gomes Fischer, e de sua mãe, Cristiane Fischer. Juntas, elas comentaram sobre divisão de responsabilidades no processo de aprendizagem, a importância dos pais no acompanhamento escolar, relacionamento entre professores e alunos, dentre outros temas abordados pela entrevistadora Paloma Silva.



No dia 19.02, o professor Rodrigo Abrantes esteve com o advogado José Nabuco no programa Sala Ultra, da TV Gazeta. Eles discutiram algumas implicações comportamentais e jurídicas do trote universitário. Na condução do programa, Paloma Silva.




Em entrevista para o Portal Terra,  o professor José Carlos Pomarico procurou sintetizar a proposta de ensino do Joana D’Arc: "Queremos fazer entender que o professor tem o dever de ensinar e o aluno, de aprender. É maravilhoso unir essas pessoas. Para isso, contamos com a família, que deve preparar os filhos para ter aulas. Ele não pode vir para cá como se fossea um campo de futebol ou ao cinema. A aula é um instante de entrega, para o qual ele deve se concentrar. Mas isso não acontece de graça. A educação começa em casa". Confira a íntegra da entrevista:http://migre.me/dmNra



“A obesidade infantil é evitada a partir do momento que os pais ensinam seus filhos a comerem alimentos saudáveis. Permitir doces, salgadinhos e refrigerantes a qualquer momento do dia ou da semana é uma maneira de incentivar a obesidade infantil. Esses alimentos devem ser oferecidos somente em ocasiões especiais”, disse Ana Cristina Pomarico ao Portal Papo Feminino:http://migre.me/dmNvZ



Aprendizado não deve se limitar apenas à escola!!

Professores recomendam que os estudantes estudem em casa o que é ensinado na sala de aula. A participação dos pais e responsáveis também é importante, mesmo quando o aluno apresente bom desempenho.